SEDE DA PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4º REGIÃO – MEMÓRIA

‘oeuvre n’est pas part seulement d’elle même. Le dehors existe.

Le Corbusier

Alem do cuidadoso trabalho de implantação, neste ponto significativo da cidade, a Arquitetura permite e sugere neste caso, um generoso gesto no trato da “coisa pública”.

O significativo eixo que liga a Praça Cívica aos Parques e ao Guaiba, orienta um grande espaço vertical. Fragmentos construtivos sobre esta praça interna, permitem que a elaborada expressão do aço e vidro, com sua transparência e opacidade reflita num painel em diagonal seu caráter monumental.

Se as normativas urbanas induzem a uma volumetria “exagerada”, o não construído, o vazio, o “átrio” passa a ser, nesta proposta, o mais interessante da expressão arquitetural colocada.

Esta indiscutível expressão de representatividade resulta numa agradável composição dos espaços internos que, voltados para esta área de sombra, preservados do sol poente, não constituem o inóspito espaço residual.

Se por um lado a dinâmica geométrica da torre de escritórios cria a total fluidez integrando todas as áreas de praça ao grande átrio, doutro lado, a elevação dos procuradores, se revela sóbria e elegante com suas empenas soltas sobre o silêncio da grande laje.