PREFEITURA DE PALMAS – MEMÓRIA

“Como as árvores são magníficas, porém o mais magnífico
ainda é o espaço sublime e patético entre elas.”

Rilke.

No Paço Municipal, centro cívico da capital do Estado do Tocantins,
a Sede do Poder Executivo.
No ponto central, cruzamento dos eixos determinantes, o lugar de encontro,
a praça coberta, palco de manifestações, salão de grandes atos.
Se esta edificação já esta vocacionada “a escala representativa, ampliamos suas dimensões espaciais na confluência do entorno urbano.
Como diz Oscar Niemeyer: ”O espaço arquitetural faz parte da arquitetura e da própria natureza, que também envolve e limita. Entre duas montanhas ele esta presente e nas suas formas se integra como um elemento da composição paisagística”.
Protegido do sol poente por duas grandes vigas, este “lugar” com suas aletas na cobertura enriquece a permeabilidade e singularidade da edificação.
Os gabinetes no segundo pavimento se abrem ao pé direito duplo no interior do edifício propiciando assim uma interessante verticalidade, contraste espacial com o grande horizonte até então evidenciado.
As atividades administrativas no térreo semi-enterrado dão continuidade ‘a grande praça cívica mantendo portanto a unidade e elegância do conjunto. Ainda sob a inflexão do piso do entorno imediato ficam as instalações de garagens e atividades de apoio.
A relação da paisagem com o edifício resulta desta forma na expressão do objeto estético autônomo, inversão da escala volumétrica; expressão maior da dimensão estética.