MEMORIAL À REPÚBLICA – MEMÓRIA

República: coisa pública
Idealismo ou realidade?

Se a República tem como ideal sua forma de
representatividade, é no poder participativo que se
encontra sua maior expressão.
Propomos portanto uma praça, dimensões de urbanidade,
o continuum dos espaços que criam uma relação estreita com a cidade.

“Construir sempre significou obstruir a paisagem” (Lucio Costa).

Recriar a paisagem, definir um território e na amplitude da área ocupada lançar o marco; a marca simbólica da Republica, a tão sonhada transparencia, questões do vidro iluminado.
A hierarquia do poder, a representatividade do espaço reflete uma imensa verticalidade do grande salão, a imponência dos grandes atos.
Se trabalhamos com as diversas escalas, àquela de carater
monumental fica exposta de forma privilegiada.

relação de espaços e formas na interação total com o
verde preservado, surgem na profusão de imagens, os
limites alterados.