NOVA SEDE DO SEBRAE – MEMÓRIA

A nítida percepção de Dr. Lucio sobre a topografia do lugar, a geografia do território a ser “recriado” num entendimento de arquitetura e urbanismo como disciplinas indissociáveis.
Neste planalto, mais do que escalas e eixos, a paisagem em sua exuberante horizontalidade. Numa busca de sabedoria e sensibilidade, resgatar a essência do lugar; invocar a atraente percepção do olhar e neste lugar perceber a sua natural monumentalidade.
Nesta generosa área verde, em meio a setores e avenidas, um “bairro” tranqüilo que permite um ponto de estar. Mais do que uma volumetria pós-industrial, a vocação cidadã do lugar: a elegância da paisagem, do edifício e de seu entorno, a expressão maior do não edificado, a encantadora transcendência do espaço arquitetural.
Como se não bastassem as ricas perspectivas desde a cidade na leitura privilegiada da edificação, contempla-se desde seus generosos espaços “internos”, as mais ricas visuais do verde e do lago.
Mais do que uma simples implantação, uma intervenção estética; uma interação, uma nítida continuação; uma reconversão do edifício em, sua própria, cidade.